domingo, 28 de junho de 2015

EXPLICAÇÃO DO DESENHO PROPOSTO NA PÁGINA 9 E QUE SERVE DE INTRODUÇÃO À OBRA. VIDE VICO (*)


(*) Este retrato algo surreal (incluindo as “escaleras” à la Xul) 
é de autoria de NATALY PINHO (grato, Naná) e inspirou 
o soneto a seguir, incluído como abertura do livro 
Miravilha – Liriai o Campo dos Olhos



Eu-Poeta em meu Quarto leio rasgo
O que leio à luz cheia de uma lua
Que me vê mas não sabe se sou trasgo
Ou anjo asa postiça atrás da espádua

Eu-Poeta em meu Quarto leio assombro
O que leio à luz prata de uma cheia
Lua que me lê sem saber se sou escombro
Da sombra que me assombra e que se alteia

(Da sombra uma escaleira e nesta Insetos
Aos livros enrastejam se insinuam
Transformando-se em letras alfabetos
Que rerrasgo em vão: eles não recuam)

Eu-Poeta em meu Quarto me desleio
Me rasgo e me releio, me luo cheio

sexta-feira, 12 de junho de 2015

sexta-feira, 5 de junho de 2015